Rio Branco-AC -


PALAVRAS DO PÁROCO


     Irmãos e irmãs, que o espírito natalino mais uma vez toma conta das nossas vidas, da nossa cidade, das nossas famílias. Na verdade o grande espírito do Natal é celebrar o nascimento de Jesus, advento marcante e decisivo no processo histórico salvífico. Jesus nasceu para instaurar um reino novo, reino de paz, de amor, de justiça, onde não haveria guerras, disputas, injustiças e sim harmonia, paz, compreensão. Ele veio para resgatar um povo que estava nas trevas. De fato “o povo que caminhava nas trevas viu uma grande luz” (Is 9, 1).
     Jesus se revela: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas e terás a luz da vida” (Jo 8, 12). Luz indica caminho, clareza, firmeza, segurança. Jesus quer iluminar a cada um de nós e habitar em nossos corações.
     Os anjos de Deus anunciaram aos pastores. “a glória do Senhor os envolveu com a sua luz e disseram: hoje nasceu para vós um Salvador, que é o Messias, o Senhor… Os pastores foram até Belém e encontraram Maria e José o recém-nascido deitado numa manjedoura” (Lc 2, 9-11.15-16).
     Hoje, mesmo que o espírito do natal esteja em nossos corações, a sociedade contemporânea não está preocupada com o nascimento de Jesus. O natal não está transformando a vida e os corações de algumas pessoas. Estamos mais preocupados com as coisas “externas”, e não estamos indo no essencial do evento natalício. A dimensão celebrativa da fé, muitas vezes, fica em segundo plano.
     Queremos nos preparar com dignidade. A Igreja convida a olhar com profundidade para este grande evento da história: o nascimento do Menino Deus. O tempo litúrgico do advento nos convida a vivenciar cada passo, cada dia, cada semana, para chegar no grande dia do Natal e celebrar que a “Palavra se fez homem e veio habitar entre nós.” (Jo 1, 14). Neste tempo de preparação é muito importante perceber e ouvir a voz dos profetas: Isaías, Miqueias e Sofonias que anunciaram um tempo de esperança; perceber as presenças das famílias de Zacarias e Isabel, José e Maria, cada uma com suas características, mas sempre abertas ao grande projeto de Deus.
     A nossa comunidade paroquial deseja transformar este período de preparação para o Natal num grande momento de evangelização. A Novena do Natal poderia ser um grande sinal para a nossa paróquia e com a força do Espírito Santo anunciar Jesus Caminho, Verdade e Vida.
     Que juntos com os anjos de Deus possamos cantar o grande hino de louvor: “Glória a Deus nas alturas e na terra paz aos homens que ele ama!” (Lc 2, 14).
     Feliz Natal a todos.

Frei Antônio Eugenio Chemim