Rio Branco-AC -


PALAVRAS DO PÁROCO


     Caríssimos irmãos e irmãs paz e bem, que a alegria do Evangelho nos motive a sermos uma Igreja sempre em saída e sempre juntos na missão permanente.
     Como sabemos meus queridos irmãos e irmãs, outubro é o Mês das Missões e do Rosário, é um período em que devemos intensificar as iniciativas de animação e cooperação missionária em todo o mundo e em especial na nossa paróquia.
     O outro objetivo de dedicar esse mês às missões, é sensibilizar, é despertar vocações missionárias e realizar a Coleta no Dia Mundial das Missões, penúltimo domingo de outubro (este ano dias 21 e 22), conforme instituído pelo papa Pio XI em 1926. “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”, este é o tema escolhido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) para a Campanha Missionária de 2017. É o mesmo o tema do 4º Congresso Missionário Nacional, que acontecerá nos dias 7 a 10 de setembro em Recife (PE).
     Toda essa campanha está em sintonia como os ensinamentos do papa Francisco quando afirma: “A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontraram com Jesus” (EG 1). Essa alegria precisa ser anunciada pela Igreja que caminha unida, em todos os tempos e lugares, e em perspectiva ad gentes. Por isso, o lema desse ano é “Juntos na missão permanente”.
     O Papa Francisca não cansa de nos convidar a sermos Igreja em saída, e faz-nos essa pergunta retórica: “Qual é o fundamento da missão? Qual é o coração da missão? Quais são as atitudes vitais da missão?”. O Papa responde: “A missão da Igreja é animada por uma espiritualidade de êxodo (saída) contínuo”. Trata-se de “sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho (EG 20). (...) A missão adverte a Igreja de que não é fim em si mesma, mas instrumento e mediação do Reino”, diz o papa.
     Quanto as ofertas feitas todos os anos no Dia Mundial das Missões tornam possível a cooperação missionária de cada cristão e da Igreja local na missão universal de toda a igreja, em especial nas áreas de missão ad gentes. Para ser verdadeira essa cooperação missionária deve alargar os horizontes da caridade a todos os povos da terra, pois o mandamento do amor cristão não será completo se não incluir os que estão longe como irmãos e irmãs mais queridos.
     Quero concluir essas pobres palavras com a oração do Mês Missionário 2017:

Deus de misericórdia,
que enviaste o Teu Filho Jesus Cristo
e nos sustentas com a força do Espírito Santo,
ensina-nos a caminhar juntos
e, a exemplo de Maria, nossa Mãe Aparecida,
na celebração dos 300 anos do encontro da imagem,
sejamos, em toda a parte,
testemunhas proféticas da alegria do Evangelho
para uma Igreja em saída. Amém.

     Um grande abraço a todos e muitas bênçãos de nossa querida Mãe e Protetora, Nossa Senhora Aparecida.

Frei Antônio Eugenio Chemim